David J. Phillips

Autodenominação:

Outros Nomes: Arapium.

População: 2024 (SIASI/SESAI 2012).

Localização: Pará, na Terra Indígena Maró, de 42,373 ha, nos rios Aruã e Maró, nas cabeceiras do rio Arapiuns, afluente da margem direita do Amazonas, na boca do rio Tapajós. Identificada e aprovada pela FUNAI, sujeita a contestação, com 239 Arapium e Borari (FUNAI 2008).

T. I. Cobra Grande, de 8.906 ha na margem esquerda do rio Arapiuns, Identificada e aprovada pela FUNAI, sujeita a contestação, com 583 Arapium, Jaraqui e Tapajó (FUNAI 2008). Outros moram na Vila Franca, Santarém.

Língua: Sateré-Mawé (Andira, Arapuim, Mabue, Maragua, Maué, Sataré) da família mlinguistica Tupi, Falada pelos povos entre o baixo tio Tapajós e o rio Madeira (SIL). Falam nheengatu.

História: Os Arapuins vivem com os Borari. Em dezembro de 2014, o juiz federal Airton Portela decretou que o povo eram ribeirinhos e não índios, e por isso, eles não teriam direito ao território delimitado pela FUNAI. Mas o Ministério Público Federal suspendeu esta sentença, e a permissão de madeireiros entrar na Terra foi embargada. A Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará deu a concessão para tirar madeira porque a área foi delimitada e não demarcada. Um líder Dada Borari recebeu ameaças e foi espancado depois de denunciar os madeireiros.

Em 2015, estudantes da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) fizeram se uma caravana pelos rios Tapajós e Arapiuns. A viagem, em apoio à demarcação da Terra Indígena Maró, os alunos tiveram a oportunidade de compreender o impacto do agronegócio na Amazônia e conhecer alguns direitos territoriais indígenas. Outra caravana organizada pela Terra de Direitos levou cerca de 60 pessoas para saber mais sobre história e crenças de indígenas das etnias Borari e Arapium.

Estilo da Vida: Devido à tendencia de formar comunidades permanentes as comunidades no rio Arapiuns estão sofrendo de infertilidade do solo das suas roças e a falta de caça. Também o rio devido as suas águas acidas não tem abundancia de peixe. Há um projeto melhorar o métodos de agricultura da comunidades.

Sociedade: Um programa de saúde oral começou em novembro 2011, entre uns vinte comunidades nos rios Aruã e Maró, apoiado pelo Aeroclube de Vôo a Vela de São José dos Campos, SP. As comunidades também pediram meios de comunicação no caso de emergência e dois telefones de satélite foram doados e instalados em comunidades estratégicas.

Artesanato:

Religião: Não temos informações.

Cosmovisão:

Comentário:

Bibliografia:

  • DAI/AMTB 2010, 'Relatório 2010 - Etnias Indígenas do Brasil', Organizador: Ronaldo Lidório, Instituto Antropos -http://instituto.antropos.com.br/
  • EQUIPE de edição, 2014, 'Arapuins', Povos Indígenas do Brasil, Instituto Socioambiental, São Paulo. http://pib.socioambiental.org/pt/povo/arapuins/
  • HEMMING, John, 2003, Die If You Must – Brazilian Indians in the Twentieth Century, London; Pan Macmillan.
  • SIL 2015, Lewis, M. Paul, Gary F. Simons, and Charles D. Fennig (eds.). 2014. Ethnologue: Languages of the World, Eighteenth edition. Dallas, Texas: SIL International. Online version: http://www.ethnologue.com
indigenous peoples of Brazil
Relatorio DAI-AMTB IndigenasDoBrasil
Lista das Etnias Indigenas